O CAGARRO
Prémio Cagarro D'Ouro  |  Artigos Científicos  |  Parceiros  |  Notícias  |  RESOURCES IN ENGLISH  |  Campanhas Cagarro noutras latitudes
<Dezembro de 2018>
segterquaquisexsábdom
262728293012
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31123456
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 

Atualizado em: 20-11-2018



 

Zeca Garro ... saber mais


_A GRANDE VIAGEM PARA O SUL  

• Assim que saem dos ninhos, os cagarros juvenis com apenas 3 meses de idade, fazem a sua primeira grande viagem de centenas de quilómetros pelo oceano Atlântico.

                                                      

_ADAPTADOS A VIDA EM ALTO MAR

• São excelentes voadores, planando por entre as ondas, durante horas quase sem bater as longas e flexíveis asas. Têm umas glândulas associadas às narinas que expelem o sal da água do mar.

_VIVEM EM COMUNIDADE

• Os cagarros vivem em grupo o ano todo, em terra e no mar, onde formam agregações denominadas “jangadas” ao final da tarde. Ocorrem muitas vezes em associação com golfinhos e atuns, beneficiando da sua presença para capturar o alimento no mar a pouca profundidade.

         


_O CANTO


• De Março a Outubro, todas as noites é possível ouvir um pouco por todas as ilhas dos Açores o interessante som dos cagarros de regresso às colónias. Parece-se com o coaxar de uma rã ou com o miar de um gato.

_AÇORES:DESTINO PARA LUA-DE-MEL

• Todos os anos, os cagarros escolhem os Açores para namorar, acasalar e criar os filhotes desse ano. Podem fazê-lo durante trinta anos, desde que atingem a vida adulta, aos 7 anos de idade, até aos 40 anos, a longevidade máxima conhecida.


_CONSERVAÇÃO

A população açoriana e madeirense de cagarros representa cerca de 85% da população mundial da espécie e sendo os outros 15% residentes nas Canárias e havendo alguns pares reprodutores ainda nas Ilha das Berlengas  (BirdLife International, 2014). A grande maioria da população de cagarros habita o Atlântico durante a época não reprodutiva.
A espécie Calonectris borealis consta do Anexo II do Decreto Legislativo n.º 316/89 de 22 de Setembro (Convenção da Vida Selvagem e dos Habitats Naturais da Europa – Convenção de Berna) e do Anexo A-I do Decreto-Lei n.º 49/2005 de 24 de Fevereiro (Directiva Habitats).



_PORQUE É TÃO IMPORTANTE PARTICIPAR NA CONSERVAÇÃO DOS CAGARROS NOS AÇORES? 

São várias as ameaças à conservação desta espécie:
• a destruição do habitat de nidificação, através da introdução de plantas e animais exóticos, do crescimento urbano e da rede de estradas litorais;
• a captura e morte de adultos e crias para obtenção de isco, para alimentação ou por vandalismo;
• a elevada mortalidade, na época do Outono, associada ao atropelamento e colisão de cagarros juvenis em estradas e localidades.

Apesar dos Açores possuírem a maior população mundial da espécie Calonectris borealis (85%), a população europeia de cagarros encontra-se em estado de conservação desfavorável e tem vindo a decrescer nas últimas décadas.

 


Pesquisa
 
 
Últimos conteúdos
 
Encerramento SOS Sao Miguel
Premios SOS Faial
encerramento sm sos
pao por deus no Pico
 
 
 
“O Cagarro”
“Cagarro, cagarrinho”
“Aves vindas do mar”
"DJ Cagarro Master"
 
 
 



 

 

INÍCIOCAMPANHAO CAGARROINICIATIVASBRIGADAS CIENTÍFICASRECURSOSRELATÓRIOSCONTACTOSLUMINAVES

©2004-2018 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE