Áreas Protegidas  |  Rede Natura 2000  |  Património Mundial UNESCO  |  Reservas da Biosfera  |  Geoparque Açores  |  RAMSAR  |  Envolvimento Internacional  |  Espécies e Habitats



Destaques
 
Parques Naturais dos Açores
 Mais »
Plano Setorial da Rede Natura 2000
 Mais »
 
Últimos conteúdos
 
Conclusão Planos de Gestão Faial, Pico e...
Diretor Regional do Ambiente defende dis...
Parques Naturais dos Açores assinalam Di...
Vigilante da Natureza Júnior dos Açores ...
 

Horta 11-07-2014

Caminho da Levada, no Faial, junta-se aos mais de 60 percursos pedestres homologados nos Açores


O Governo dos Açores procedeu a um investimento global de cerca de 150 mil euros que permitiu a abertura do trilho da Levada, no Faial, um percurso de oito quilómetros que dá acesso à maior obra de engenharia hidráulica dos Açores, executada na década de 60 do século passado, e que passa a integrar a rede de percursos pedestres homologados do arquipélago, com mais de 60 trilhos.

O novo trilho, cuja abertura foi hoje assinalada pelos diretores regionais do Ambiente, Hernâni Jorge, e do Turismo, João Bettencourt, desenvolve-se ao longo do percurso de uma conduta de água (levada), destacando-se pela flora, fauna e geologia que apresenta.

Hernâni Jorge salientou que a intervenção ali realizada foi desenvolvida de forma faseada, “reabilitando mais de quatro quilómetros da caleira bastante afetados por derrocadas causadas pelo sismo de 1998, e recuperando, com todas as condições de segurança, uma dúzia de pontes (passagens hidráulicas)”.

“Para além do investimento referido, a limpeza do trilho e da caleira contou ainda com a intervenção de operacionais do Parque Natural do Faial, ao longo de cerca de sete meses”, acrescentou.

Por seu lado, João Bettencourt realçou “a qualidade e segurança” da rede regional de trilhos homologados, salientando que “os percursos pedestres são um dos principais cartazes do turismo de natureza que os Açores oferecem”.

A Levada do Faial, inaugurada em 1964, foi considerada a maior obra de engenharia hidráulica dos Açores, tendo demorado quatro anos a ser construída e sete a ser planeada, tendo como principal objetivo a produção de energia hidroelétrica, recolhendo a água em vários pontos ao longo do percurso.

Neste trilho, os caminhantes podem observar várias espécies de fauna caraterística dos Açores, como a Galinhola (Scopolax rusticula), o Melro-Preto (Turdus merula azorensis), a Estrelinha (Regulus regulus inermis) e o Tentilhão (Fringilla coelebes moreletti).

No que respeita à flora, podem ser encontradas também várias espécies da Região e da Floresta Laurissilva, como é o caso do Louro (Laurus azorica), do Sanguinho (Frangula azorica), do Azevinho (Ilex azorica) e da Uva-da-Serra (Vaccinium cylindraceum).

Outras espécies de elevado interesse, como o Tamujo (Myrsine retusa), o Sargaço (Luzula purpureosplendens), a Cavalinha (Equisetum telmateia) e o Queiró (Daboecia azorica) também podem ser observadas neste trilho, assim como uma grande variedade de fetos.

Ao longo da Levada, inserida no complexo vulcânico mais recente da ilha, é ainda frequente a observação do alinhamento de cones que originaram a península do Capelo.

Perto do fim do trilho, existe um grande tanque de retenção das águas trazidas pela levada, com capacidade para 1.400 m3, podendo-se, um pouco mais à frente, subir e visitar o interior de um cone vulcânico repleto de vegetação natural, o Cabeço dos Trinta.

Autor: GaCS/SRTT/SRAA/OG

Numero de Visitantes
  746436  
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 





 
 
 

  




 

HOMEQUEM SOMOSPROJETOS E AÇÕESCAMPANHASLEGISLAÇÃOLINKSCONTACTOSFORMULÁRIOS ONLINE

©2004-2019 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE