Áreas Protegidas  |  Rede Natura 2000  |  Património Mundial UNESCO  |  Reservas da Biosfera  |  Geoparque Açores  |  RAMSAR  |  Envolvimento Internacional  |  Espécies e Habitats



Destaques
 
Parques Naturais dos Açores
 Mais »
Plano Setorial da Rede Natura 2000
 Mais »
 
Últimos conteúdos
 
Conclusão Planos de Gestão Faial, Pico e...
Diretor Regional do Ambiente defende dis...
Parques Naturais dos Açores assinalam Di...
Vigilante da Natureza Júnior dos Açores ...
 

Horta 28-11-2011

Requalificação do circuito das Levadas amplia oferta do Parque Natural do Faial


O Secretário Regional do Ambiente e do Mar, Álamo de Meneses, presidiu este domingo à cerimónia de inauguração da II fase da obra de recuperação das Levadas, parte integrante do Parque Natural de Ilha do Faial.

O parque conta com sete trilhos pedestres, nos quais se integra o circuito pedestre das Levadas que foi alvo de trabalhos de requalificação pelo Governo dos Açores, através da Secretaria Regional do Ambiente e do Mar, em parceria com a Empresa de Eletricidade e Gás (EEG) do grupo EDA.

O trilho encontra-se inserido na Área de Paisagem Protegida da Zona Central. Este circuito apresenta especial interesse pelas suas características no que se refere à flora, à fauna e à geologia, bem como pela sua importância hidroelétrica para a ilha.

A central hidroelétrica foi inaugurada em 1964, pelo então Ministro das Obras Públicas, Arantes de Oliveira. Na época, a produção e a exploração da central ficaram a cargo da Câmara Municipal da Horta, passando, em 1982, para a responsabilidade da EDA (Empresa de Eletricidade dos Açores).

Em 1998, a central sofreu algumas danificações com o sismo que ocorreu nessa data. A levada (canal) estendeu-se, outrora, por 9,5 quilómetros de comprimento e recolhia água proveniente de várias zonas da ilha do Faial. Atualmente, apenas uma extensão de 4,5 quilómetros da levada se encontra em funcionamento.

O percurso pedestre é de fácil e livre acesso, iniciando-se junto ao tanque de água do Capelo e, após a inauguração desta segunda fase, apresenta uma extensão de 6,1 quilómetros, com um grau de dificuldade baixo (ida e volta, 12,2 quilómetros).

Ao longo de todo o trilho é possível observar a flora Laurissilva, onde se destacam o louro (Laurus azorica), o sanguinho (Frangula azorica), a uva-da-serra (Vaccinium cylindraceum), e o cedro-do-mato (Juniperus brevifolia).

Neste local existe ainda uma rica variedade de fetos, onde se diferencia o feto-do-cabelinho (Culcita macrocarpa), por possuir um rizoma grosso com pêlos avermelhados e finos que outrora eram usados para o enchimento de almofadas.

Ao longo do percurso é possível ainda contemplar o antigo escoamento lávico da erupção de 1672, mais conhecido por “Mistérios do Capelo”.

As espécies faunísticas possíveis de observar são essencialmente aves dos Açores, como o melro-preto (Turdus merula azorensis), a estrelinha (Regulus regulus inermis) e o tentilhão (Fringilla coelebes moreletti).

Pode também observar-se o alinhamento de cones do Complexo Vulcânico do Capelo, um sistema fissural, instalado numa zona de fratura, com orientação aproximadamente Oeste-Este.

Autor: GaCS/FA/SRAM

Numero de Visitantes
  746733  
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 





 
 
 

  




 

HOMEQUEM SOMOSPROJETOS E AÇÕESCAMPANHASLEGISLAÇÃOLINKSCONTACTOSFORMULÁRIOS ONLINE

©2004-2019 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE