principal
Presidente
Governo Regional
Espaço Cidadão
Espaço Empresas
Sobre os Açores
  notícias Legislação Agenda fotos Contactos Mapa do Portal Ajuda
English VersionCHANGE LANGUAGE
Ver Em: entidades  temas
 

Presidência do Governo
Vice-Presidência do Governo, Emprego e Competitividade Empresarial
Secretaria Regional da Solidariedade Social
Secretaria Regional da Educação e Cultura
Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia
Secretaria Regional dos Transportes e Obras Públicas
Secretaria Regional da Saúde
Secretaria Regional da Energia, Ambiente e Turismo
Secretaria Regional da Agricultura e Florestas

 
Comunicação Social
      

Receba as notícias do Governo dos Açores por RSS - clique aqui 

Mindelo, Cabo Verde , 12 de Outubro de 2018

Diretor Regional dos Assuntos do Mar afirma que Açores e Cabo Verde devem intensificar parcerias em projetos ligados ao Mar

O Diretor Regional dos Assuntos do Mar afirmou, no Mindelo, em Cabo Verde, que os Açores pretendem "intensificar os contactos" com este país lusófono em "projetos relacionados com o Mar, estabelecendo mecanismos de cooperação em áreas relevantes”.

 

Filipe Porteiro frisou que a ’clusterização’ do setor do mar "é uma prioridade que deve ser percebida por todos os agentes enquanto forma estruturante da fileira da economia azul”, acrescentando que há a pretensão de “intensificar parcerias com Cabo Verde, e com os outros arquipélagos da Macaronésia para a criação do ‘Cluster Macaronésico para o Mar’”, tal como ficou definido na Declaração Final da II Cimeira dos Arquipélagos da Macaronésia, que decorreu no início deste ano nos Açores.

 

O Diretor Regional falava na II Conferência Atlântico Insular 'Oceanos, Fonte de Oportunidades e Crescimento Sustentável', promovida pelo IEMAC - Instituto de Estudos da Macaronésia, no âmbito da VII Expomar de Cabo Verde.

 

Filipe Porteiro, na sua intervenção, vincou que a geografia, atlântica e insular, a história e os ecossistemas marinhos, “em toda a sua diversidade biológica e geológica, constituem o sistema de base de todas as atividades marinhas e marítimas que se desenvolvem atualmente nos Açores”.

 

Neste contexto, reforçou as “fortes afinidades” dos Açores com Cabo Verde e com os outros arquipélagos macaronésicos, referindo que estes arquipélagos atlânticos são "remotos, dispersos, fragmentados, oligotróficos, com profundidades muito elevadas e com plataformas insulares reduzidas, caraterísticas que levam a que os mananciais dos seus recursos biológicos sejam pouco robustos e vulneráveis”.

 

"Para alicerçar uma economia azul sustentável, é essencial desenvolver e implementar políticas de gestão das atividades marinhas eficazes e medidas de conservação que garantam a sua sustentabilidade”, afirmou.

 

Filipe Porteiro salientou que os arquipélagos da Maraconésia, no seu conjunto, “contêm habitats indispensáveis para algumas espécies, como os grandes migradores oceânicos, nomeadamente cetáceos, aves marinhas, tartarugas, atuns, tubarões e jamantas”.

 

O Diretor Regional destacou que, nos Açores, os ecossistemas dos fundos oceânicos, como corais e esponjas de águas frias, montes submarinos e campos hidrotermais, “criam oportunidades de investigação que temos sabido maximizar com os recursos tecnológicos disponíveis”.

 

“Ao longo das últimas quatro décadas, a Região tem alicerçado as suas políticas para a economia do mar no conhecimento científico, desenvolvido por parceiros estratégicos, como a Universidade dos Açores e centros de investigação a ela associados, em especial o IMAR”, salientou Filipe Porteiro na sua intervenção. 

 

Neste sentido, apontou “o desenvolvimento e a gestão das pescas, das atividades de turismo costeiro, em especial das marítimo-turísticas, bem como iniciativas relacionadas com a biotecnologia azul”.

 

O Diretor Regional defendeu ainda que “a ciência e a monitorização científica, geradora de dados e de informação estratégica, têm sido cruciais para conferir a sustentabilidade indispensável às atividades da economia do mar”.

 

“Com base no conhecimento científico obtido nas últimas décadas, os Açores têm implementado uma política ambiental para o mar sólida, que continua em aperfeiçoamento e que exige de nós um esforço acrescido perante as ameaças e as pressões crescentes das atividades antrópicas sobre os ecossistemas marinhos”, disse.

 

No âmbito desta conferência foram discutidos programas governamentais para reforçar a economia baseada na investigação, no desenvolvimento e inovação, com o objetivo de desenvolver a cultura científica e tecnológica em todas as camadas da sociedade.

GaCS/GM
 
 
 
 
     
   Folha de Impressão   Enviar Enviar Notícia   GaCS Site do GaCS   Órgãos de Comunicação Social Órgãos de Comunicação Social   rss  
     

Últimas Notícias

Sismo sentido em Vila Franca do Campo

João Ponte defende que os viticultores dos Açores devem apostar mais na certificação dos vinhos

Governo dos Açores atribuiu mais de 370 mil euros a Juntas de Freguesia para beneficiação de sedes e aquisição de equipamentos administrativos

Agenda do Governo Regional dos Açores para 20 e 21 de outubro

Documento base para Estratégia Açoriana para a Energia 2030 em consulta pública até 3 de dezembro



<< voltar

Pesquisa
 
Onde?
Pesquisa Avançada >>
 


 



Casa da Autonomia
Jornal Oficial
Programa de Governo
Açores 2020
 PROMEDIA 2020
 O Governo dos Açores mais perto de si - clique para enviar e-mail
Roteiro AP
 Linha Verde Apoio ao Cidadão
 
Rede Prestige Azores
 Provedor do Utente da Saúde
  
Ouvir Esta Página OUVIR
Ir para o topo desta página TOPO
ajuda AJUDA
English VersionCHANGE LANGUAGE

 
Símbolo de Acessibilidade à Web
principal | Presidente | Governo Regional | Espaço Cidadão | Espaço Empresas | Sobre os Açores | O Meu Portal