Áreas Protegidas  |  Rede Natura 2000  |  Património UNESCO  |  RESERVAS BIOSFERA  |  Geoparque Açores  |  RAMSAR  |  Envolvimento Internacional  |  Espécies e Habitats



Destaques
 
Plano de Gestão das Áreas Terrestres do Parque Natural da Ilha do Corvo | Discussão Pública
 Mais »
Plano de Gestão das Áreas Terrestres do Parque Natural da Ilha das Flores | Discussão Pública
 Mais »
Plano de Gestão das Áreas Terrestres do Parque Natural da Ilha de São Jorge | Discussão Pública
 Mais »
Plano de Gestão das Áreas Terrestres do Parque Natural da Ilha Graciosa | Discussão Pública
 Mais »
 
Últimos conteúdos
 
Governo dos Açores promove sessão públic...
Sessão Pública do Plano de Gestão das Ár...
Portaria n.º 138/2020
Portaria n.º 136/2020
 
Reservas da Biosfera


 Corvo Graciosa Flores

   Reserva Biosfera do Corvo   |   Reserva Biosfera da Graciosa   |   Reserva Biosfera das Flores

                                                     Reserva Biosfera das Fajãs de São Jorge

A ilha do Corvo e a ilha Graciosa, em 2007, a ilha das Flores, em 2009, e as Fajãs de São Jorge, em 2016, passaram a fazer parte da Rede Mundial de Reservas da Biosfera da UNESCO por decisão do Conselho Internacional de Coordenação do Programa MAB (O Homem e Biosfera). Este Programa foi estabelecido em 1971 e visa melhorar, a nível mundial, as relações entre as populações e o ambiente.

No âmbito das Reservas da Biosfera, estas apresentam três objetivos complementares: 

  1. Conservação - contribuir para a conservação de paisagens, ecossistemas, espécies e variabilidade genética;
  2. Desenvolvimento - contribuir para um desenvolvimento económico e humano que seja sóciocultural e ecologicamente sustentável;
  3. Logística - prover alicerces para investigação, monitorização, educação e troca de informação, relacionados com temas de conservação e desenvolvimento locais, nacionais e globais.

Estas reservas são escolhidas com base em parâmetros científicos que vão além do objetivo da proteção, pois tencionam desenvolver um modelo de gestão que une Governos e sociedades locais e são regulamentadas pelas legislações nacionais dos países, devendo incluir três esferas de zonamento:

  • Zona Núcleo, constituída por um ou mais núcleos que abrangem áreas previamente protegidas, estando vocacionadas, essencialmente, para a pesquisa e conservação;
  • Zona Tampão, prevê, para além de ações educacionais, iniciativas económicas com utilização limitada de recursos, para desenvolvimento de comunidades locais;
  • Zona de Transição, admite atividades de maior monta, desde que respeitadas as condições naturais da região.

As reservas da biosfera promovem soluções que reconciliam a conservação da biodiversidade com o seu uso sustentável. São áreas de aprendizagem para o desenvolvimento sustentável num contexto de diversidade ecológica, social e económica, influenciando positivamente a vida de mais de 250 milhões de pessoas.

Existem, atualmente, 714 reservas da biosfera em 129 países, incluindo 21 sítios transfronteiriços, que pertencem à Rede Mundial de Reservas da Biosfera.

Nos Açores, para realçar os fatores intrínsecos e produtos locais das Reservas da Biosfera, foi criada a marca Biosfera Açores, cujo regulamento está publicado na Portaria n.º 27/2011, de 28 de abril.

De acordo com as normas do Programa MAB da UNESCO, e volvidos 10 anos da sua classificação como reservas da biosfera, foram elaborados os respetivos Relatórios de Revisão Periódica, coordenados pelos presidentes dos Conselhos de Gestão das Reservas da Biosfera. Este processo envolveu a população e partes interessadas ligadas ao património, à cultura e ao desenvolvimento socioeconómico.

> Consulte aqui o Relatório da Revisão Periódica da RB Corvo 2017 (documento em inglês)
> Consulte aqui o Relatório da Revisão Periódica da RB Graciosa 2017 (documento em inglês)
> Consulte aqui o Relatório da Revisão Periódica da RB Flores 2019 (documento em inglês)

Em 2020, os Planos de Ação das Reservas da Biosfera das Flores, Corvo, Graciosa e Fajãs de São Jorge foram aprovados por portarias. Estes Planos de Ação desenvolvem abordagens socioeconómicas que, aliando conhecimentos científicos e estratégias de governança, visam reduzir a perda de biodiversidade e melhorar os níveis de subsistência das populações nas áreas integradas nas respetivas Reservas da Biosfera, favorecendo as condições socais, económicas e culturais essenciais à viabilidade do desenvolvimento sustentável desses territórios, no âmbito do Programa MAB da UNESCO e da marca Biosfera Açores. O Plano de Ação da Reserva da Biosfera das Fajãs de São Jorge comtempla, ainda, um Programa Integrado de Desenvolvimento das Fajãs.

> Consulte aqui o Plano de Ação da Reserva da Biosfera do Corvo
> Consulte aqui o Plano de Ação da Reserva da Biosfera das Flores
> Consulte aqui o Plano de Ação da Reserva da Biosfera da Graciosa
> Consulte aqui o Plano de Ação da Reserva da Biosfera das Fajãs de São Jorge e o Programa Integrado de Desenvolvimento Sustentável


As Reservas da Biosfera dos Açores estão envolvidas no projeto CDTECOTUR, cofinanciado pelo programa Operacional de Cooperação Territorial Madeira- Açores-Canárias (POMAC) 2014-2020. Este programa foi executado por três beneficiários do projeto: a Fundação Canária da Reserva Mundial da Biosfera de La Palma, o Instituto das Florestas e Conservação da Natureza da Região Autónoma da Madeira e a Direção Regional do Ambiente (XII Governo dos Açores), visando conservar e proteger o ambiente, promovendo a eficiência dos recursos, e aumentar a atratividade de áreas naturais de interesse turístico.

Para mais informações sobre as Reservas da Biosfera dos Açores consulte o website SIARAM.


Numero de Visitantes
  991109  
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 





 
 
 

  




 

HOMEQUEM SOMOSPROJETOS E AÇÕESCAMPANHASLEGISLAÇÃOLINKSCONTACTOSFORMULÁRIOS ONLINEDESTAQUES

©2004-2021 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE