Direção Regional do Turismo

  

Ilha das Flores

HISTÓRIA

É ponto controverso a data do descobrimento das ilhas das Flores e do Corvo sabendo-se ter sido posterior às das restantes sete ilhas dos Açores. Afirma-se, porém, que em 1452 era reconhecida por Diogo de Teive e seu filho. Inicialmente denominada ilha de São Tomás ou de Santa Iria, em breve o seu nome é mudado para Flores, devido à abundância de flores amarelas (cubres) que revestiam toda a ilha, cujas sementes foram possivelmente trazidas da península da Florida, América do Norte, na plumagem de aves migradoras. O seu povoamento inicial é atribuído ao flamengo Wilhelm van der Haegen (Guilherme da Silveira) que, depois de alguns anos, a abandona, indo fixar-se na ilha de São Jorge, decisão que se deveu ao afastamento da ilha e inexistência de ligações regulares por barco que permitissem a exportação da planta tintureira chamada "pastel" para a Flandres. Seguem-se, já no séc. XVI, agricultores de várias regiões do Continente que começaram a arrotear os seus campos produzindo trigo, cevada, milho, legumes e a explorar a urzela, líquen utilizado na tinturaria, e o "pastel". Nesse período recebem o foral de vila as povoações de Lajes e Santa Cruz. Afastada das restantes ilhas do arquipélago, com poucos produtos para exportar, a ilha das Flores vive séculos de quase isolamento, interrompido pelas raras visitas das autoridades régias, de barcos de comércio do Faial e Terceira que vinham buscar azeite de cachalote, mel, madeira de cedro, manteiga, limões e laranjas, carnes fumadas e, algumas vezes, louça das suas cerâmicas e, em troca, deixavam panos de lã e linho e outros artigos e de navios que ali faziam aguada e compravam víveres. Este isolamento não evita que em 1587, seja atacada por uma esquadra inglesa que saqueia a ilha e que outros navios corsários e piratas, um dos quais, conta a tradição se refugiou na gruta dos Enxaréus, a ataquem e pilhem. Os navios baleeiros americanos, que frequentam os Açores desde meados de séc. XVIII até finais do séc. XIX, caçam o cachalote nas suas águas e recrutam, entre a população, marinheiros e arpoadores. Muitos deles tornam-se capitães de veleiros merecendo destaque o "Wanderer" que, tendo navegado até 1924, foi considerado o mais belo baleeiro americano. O desenvolvimento da agricultura e da pecuária, a beneficiação das instalações portuárias, um aeroporto e a presença de uma estação francesa de telemedida são acontecimentos recentes, que abriram novos horizontes ao progresso da ilha.  

 

GEOGRAFIA

De forma trapezoidal a ilha das Flores tem uma superfície de 143,11 Km2, com o comprimento de 17 km e 12,5 km de largura máxima. A sua plataforma central, que se desenvolve entre os 500 e os 600 metros de altitude, tem no Morro Alto, com914 metros a maior elevação. Está situada a 21º 59’ de longitude oeste e a 39º 25’ de latitude norte.  

 

GASTRONOMIA

Linguiça com inhames 
Sopa de agrião
Caldeirada de peixe
Mariscos
Queijos

 

FESTIVIDADES

FESTA DO ESPÍRITO SANTO

São festas comuns a todas as ilhas, embora divergindo em alguns pormenores de ilha para ilha e até dentro da própria ilha. À volta de cada ilha todas as freguesias têm uma capela, chamada "Império", com a respectiva irmandade. São consideradas as festas religiosas mais características de toda a etnologia insular.

Localização: Todo o arquipélago
Data: De Maio a Setembro, com especial ênfase no 7º domingo depois da Páscoa
Entidade responsável: Irmandades dos Espírito Santo

FESTA DO EMIGRANTE

Festa popular de homenagem aos emigrantes que por altura do Verão regressam à sua terra Natal. Oportunidade para muitos reverem outros companheiros de aventura que após chegarem ao país de acolhimento se separaram pelas mais variadas razões.

Localização: Lajes das Flores
Data: 15 a 19 de Julho
Entidade responsável: Comissão de festas

FESTA DE S. JOÃO

São João é um dos Santos padroeiros de mais devotos e é por isso que 24 de Junho lhe é totalmente dedicado. A origem destas festas data da colonização da ilha Terceira, feita por fidalgos e sendo S. João o patrono da fidalguia portuguesa, os nobres que ali estavam instalados construíram uma ermida ao santo para celebrarem as comemorações religiosas.

Localização: Ilhas Terceira, Flores e Faial
Data: 24 de Junho
Entidade responsável: Comissão de festas

 

LOCAIS A VISITAR

LAGOAS
A ilha das Flores apresenta uma enorme riqueza em belezas naturais. As sete lagoas existentes na zona central da ilha constituem um dos locais mais interessantes a visitar.

ROCHA DOS BORDÕES
É um espetacular fenómeno geológico que tem a sua origem na solidificação do basalto em estrias verticais.

Empreendimentos
&
Atividades

Conheça a lista de empreendimentos e atividades disponíveis para consulta

Selecione a(s) atividade(s)

Ver listagem

Legenda de Atividades
T01 PASSEIOS EM VEÍCULOS TODO O TERRENO E OUTROS VEÍCULOS AUTOMÓVEIS
T02 PASSEIOS EM BTT MOTO 4 E OUTROS
T03 PASSEIOS EM SEGWAY, SCOOTERS
T04 KARTING
T05 TERMAS, SPA
T06 GOLFE
T07 PARQUES TEMÁTICOS
T08 CENTROS EQUESTRES E HIPÓDROMOS
T09 PASSEIOS A CAVALO OU EM BURRO, PASSEIOS EM CHARRETTE
T10 PASSEIOS EM PERCURSOS PEDESTRES E INTERPRETATIVOS, OBSERVAÇÃO DE FAUNA E FLORA
T11 ESPELEOLOGIA, ALPINISMO, MONTANHISMO
T12 RAPPEL, SLIDE, BUGGY JUMP, CANYONING
T13 PASSEIOS EM AERONAVES (ATÉ 6 PESSOAS)
T14 BALONISMO, PARAPENTE, ASA DELTA
T15 ANIMAÇÃO AMBIENTAL “TURISMO DE NATUREZA”
T16 INSTALAÇÕES PARA CONGRESSOS, SEMINÁRIOS, COLÓQUIOS E CONFERÊNCIAS
T17 ORGANIZAÇÃO DE VISITAS A MUSEUS, MONUMENTOS HISTÓRICOS E OUTROS LOCAIS DE RELEVANTE INTERESSE TURÍSTICO
T18 ORGANIZAÇÃO DE CONGRESSOS E EVENTOS DE VÁRIA NATUREZA
T19 ATIVIDADES DE GINÁSIO
T20 OUTRAS ATIVIDADES DE ANIMAÇÃO TURÍSTICA
M01 ALUGUER DE EMBARCAÇÕES A MOTOR COM/SEM TRIPULAÇÃO
M02 ALUGUER DE EMBARCAÇÕES À VELA COM/SEM TRIPULAÇÃO
M03 PASSEIOS TURÍSTICOS (VELA/MOTOR), TAXI MARÍTIMO
M04 CANOAGEM, WINDSURF, ALUGUER DE PEQUENAS EMBARCAÇÕES
M05 MERGULHO, ESCAFANDRISMO
M06 CENTRO DE MERGULHO
M07 ESCOLA DE MERGULHO
M08 ESTAÇÃO DE ENCHIMENTO
M09 ALUGUER DE EQUIPAMENTO DE MERGULHO
M10 PESCA TURÍSTICA E DESPORTIVA
M11 OBSERVAÇÃO DE CETÁCEOS
M12 ATIVIDADES EM MARINAS, PORTOS DE RECREIO
M13 PESCA-TURISMO