NOTÍCIAS  |  COOPERAÇÃO  |  CONTACTOS  |  LINKS



 
 

 





Curso: Passive House


Local:
Laboratório Regional de Engenharia Civil, Ponta Delgada

 

Transmissão via internet para:

Auditório do Serviço Regional de Estatística dos Açores, Angra do Heroísmo

Delegação da SRTT, Calheta de S. Jorge

Delegação da SRTT, Horta

Delegação da SRTT, Madalena do Pico

Delegação da SRTT, Santa Cruz das Flores

Delegação da SRTT, Vila do Porto, Santa Maria

Ecomuseu, Vila do Corvo

Serviços de Desenvolvimento Agrário, Santa Cruz da Graciosa

Data de realização:
24 a 26 de outubro de 2016

Organizado por:
Laboratório Regional de Engenharia Civil


Enquadramento
A investigação acerca dos edifícios de consumo de energia e emissões de carbono zero ou quase zero ‘Near Zero-Energy Buildings’ (NZEBs) intensificou-se, e a União Europeia publicou em 2010 a reformulação da Diretiva relativa ao Desempenho Energético dos Edifícios (EPBD), cujo objetivo é garantir que em todos os Estados Membros até ao final de 2020 todos os novos edifícios sejam de necessidades quase nulas de energia, sendo a redução da energia neste domínio uma prioridade no âmbito dos objetivos 20-20. A EPBD coloca os NZEBs como a futura meta a atingir pelos edifícios e define-os como “(…)um edifício que tem um elevado desempenho energético, determinado de acordo com o Anexo I deste documento. As necessidades de baixo consumo de energia requeridas devem ser significativamente satisfeitas através de fontes de energia renovável, incluindo energia renovável produzida no local (on-site) ou nas proximidades (off-site).”

Os edifícios com elevada eficiência energética especialmente atingida através de medidas passivas são indicados atualmente como fundamentais para se atingir os edifícios de consumo quase zero (NZEBs). Considera-se assim, que a introdução de medidas passivas é a metodologia mais eficaz para efetivamente contribuir para a diminuição das emissões de carbono e do consumo de energia no setor da construção em geral e em particular no dos edifícios.

O conceito da Passive House (PH) é um “game changer” subjacente a este discurso no que diz respeito à forma de construir novo ou de reabilitar (ENERPHIT, standard PH para a reabilitação) assenta sobre 5 princípios: Bom nível de isolamento térmico da envolvente opaca; Minimização das pontes térmicas; Estanquidade ao ar; Ventilação Mecânica com recuperação de energia; e Envidraçados de Alto Desempenho. Contudo, conceito PH não é exclusivamente adaptável ao centro e norte da Europa, mas a qualquer tipologia (residencial, escolar, etc..), sistema construtivo ou clima. Para países com clima temperado ou quente e húmido, em que o arrefecimento e a desumidificação é o maior desafio, o conceito PH também dá resposta e soluções. Como consequência deste modo de construir e reabilitar, surgem 5 efeitos excecionais: excelente qualidade do ar interior; conforto térmico sem assimetrias (normalmente associadas aos envidraçados e pontes térmicas); reduzido consumo energético; ausência de anomalias de origem Termo higrométrica; durabilidade e qualidade da construção.

O conceito Passive House, após 25 anos da construção do primeiro conjunto de casas passivas e de mais de 42.000 edifícios construídos ao abrigo deste conceito, continua a evoluir e a mudar a forma como concebemos, planeamos e construímos edifícios. Recentemente a expansão e a adaptabilidade da metodologia Passive House a diferentes climas e tipologias construtivas têm evoluído de forma exponencial, impulsionado pela preocupação do uso racional da energia e da sustentabilidade da construção.

O modo como se processa a forma de construir ao abrigo do conceito Passive House não é mais do que a forma otimizada no nosso exercício enquanto engenheiros e arquitetos.

Objetivos Gerais
A ação promovida, na qual será tratado este tema de forma pragmática, com abordagem às questões de detalhe, pormenorização, planeamento, estimativa de custos, tem os seguintes objetivos principais:
 - Adquirir conhecimento sobre os principais conceitos associados ao comportamento térmico dos edifícios e princípios de construção bioclimática.
 - Conhecer as principais exigências e critérios da metodologia Passive House com vista ao desenvolvimento de projeto térmico de edifícios de elevado desempenho energético.
 - Conhecer de forma detalhada o algoritmo de cálculo – balanço térmico – pelo conceito Passive House.
 - Desenvolver um caso de estudo acompanhado para consolidar os conhecimentos adquiridos no âmbito desta ação.


Formulário de inscrição
Folheto do curso (atualizado em 17-10-2016)



 

PRINCIPALSOBRE O LRECSERVIÇOSPUBLICAÇÕESLABORATÓRIOSEVENTOS

©2004-2018 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE