Áreas Protegidas  |  Rede Natura 2000  |  Património Mundial UNESCO  |  Reservas da Biosfera  |  Geoparque Açores  |  RAMSAR  |  Envolvimento Internacional  |  Espécies e Habitats



Destaques
 
Parques Naturais dos Açores
 Mais »
Plano Setorial da Rede Natura 2000
 Mais »
 
Últimos conteúdos
 
Vasco Cordeiro inicia visita de trabalho...
Marta Guerreiro salienta importância das...
XIII Encontro Regional de Educação Ambie...
Candidaturas aos prémios “Espírito Verde...
 

Açores 21-06-2018

Regras de acesso promovem gestão ativa das áreas protegidas dos Açores


O Diretor Regional do Ambiente salientou, esta manhã, a importância da implementação de regulamentos de acesso e do estabelecimento de limites de carga em determinadas áreas protegidas, permitindo uma gestão de qualidade nas zonas mais sensíveis e a monitorização da sua utilização em prol de uma “conservação ativa do património natural, que não exclui a sua fruição”, espelhado em quatro portarias publicadas, ontem e hoje, em Jornal oficial e que produzem efeitos a partir do próximo dia 1 de julho.

Hernâni Jorge, falava, na freguesia do Capelo, no âmbito de uma visita aos trabalhos de marcação do trilho do Vulcão dos Capelinhos, que terá um limite máximo de 80 visitantes diários, de acordo com o regulamento publicado hoje.

“A criação deste regulamento prende-se com as naturais dificuldades de acesso a uma área natural com as características do Vulcão dos Capelinhos e os riscos associados à instabilidade de algumas das suas vertentes, expostas a condições atmosféricas adversas e elevadas taxas de erosão que impõem a necessidade de regular o acesso de visitantes, garantindo a adequada gestão dos recursos e valores naturais em presença, bem como a segurança dos visitantes”, explicou.

Segundo o Diretor Regional, o regulamento contempla a obrigatoriedade de acompanhamento por um Guia de Parques Naturais e a criação de uma taxa de conservação da natureza a pagar pelos visitantes, exceto os residentes nos Açores.

Também na ilha do Faial, foi alterado o regulamento de acesso à Reserva Natural da Caldeira, introduzindo a obrigatoriedade de as descidas serem acompanhadas por um guia com formação específica, concretamente de Guia da Caldeira do Faial, estabelecida uma capacidade de carga máxima diária de 40 visitantes e a aplicação da referida taxa de conservação da natureza.

Na ocasião, Hernâni Jorge referiu-se, ainda, às duas portarias publicadas ontem e que criam os regulamentos de acesso ao Ilhéu da Praia, na ilha Graciosa, e ao Ilhéu de Vila Franca do Campo, em São Miguel.

Em ambos os casos, o acesso está sujeito ao pagamento da taxa de conservação da natureza, exceto se o visitante for residente nos Açores.

O regulamento de acesso ao Ilhéu da Praia define um trilho de visitação na parte leste e restringe as visitas ao período entre 1 de julho e 15 de abril, com um máximo diário de 20 visitantes, 2 dias por semana, no período de 1 de julho a 15 de novembro, e 5 dias por semana, no período de 16 de novembro e 15 de abril, com os grupos serem obrigatoriamente acompanhados por um Guia de Parques Naturais e um Vigilante da Natureza.

Relativamente ao Ilhéu de Vila Franca do Campo, o Diretor Regional frisou a importância de “disciplinar a atividade recreativa, em especial balnear, possibilitando ainda o desenvolvimento de outras atividades de animação ambiental e turística compatíveis com a preservação dos valores naturais existentes”.

O regulamento de acesso para esta área estabelece um limite diário de 400 pessoas, com um máximo de 200 visitantes em simultâneo, durante a época balnear, entre 1 de junho e 14 de outubro, possibilitando ainda, no período de 15 de outubro a 15 de abril, a realização de visitas à área protegida, obrigatoriamente acompanhadas por um Guia de Parques Naturais, com o limite de 160 pessoas por dia, sendo o máximo de 40 visitantes em simultâneo.

Hernâni Jorge aproveitou o momento para lembrar que este ano “já foi implementado um novo modelo de gestão no Monumento Natural da Caldeira Velha, foram publicadas alterações ao Regulamento de Acesso à Reserva Natural da Montanha do Pico e foi publicado um novo regulamento de circulação de veículos motorizados nos arruamentos da fajã da Caldeira de Santo Cristo e no troço do trilho entre as fajãs dos Cubres e da Caldeira de Santo Cristo, em São Jorge”, e que todos estes processos “foram desenvolvidos em estreita colaboração com os parceiros, nomeadamente no âmbito do CRADS – Conselho Regional de Ambiente e Desenvolvimento Sustentável”.

O Diretor Regional disse, ainda, que “a adoção destas medidas só é possível porque foram formados, ao longo dos últimos anos, mais de duas centenas de Guias de Parques Naturais, em todas as ilhas dos Açores, os quais estão perfeitamente habilitados a conduzir grupos de visitantes em áreas protegidas”.

Autor: GaCS/HMB

Numero de Visitantes
  620158  
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 





 
 
 

  




 

HOMEQUEM SOMOSPROJETOS E AÇÕESCAMPANHASLEGISLAÇÃOLINKSCONTACTOSFORMULÁRIOS ONLINE

©2004-2018 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE