Proteção Radiológica  |  PRAC  |  Avaliação Ambiental  |  Licenciamento Ambiental  |  PRTR  |  Emissões Atmosféricas  |  Qualidade do Ar Ambiente  |  Térmitas  |  Ruído  |  Extracção de Inertes



Destaques
 
Inventário Regional de Emissões de Poluentes Atmosféricos - IRERPA
 Mais »
Relatórios da Qualidade do Ar
 Mais »
Relatórios do Estado do Ambiente
 Mais »
Relatórios de Implementação do PRTR na RAA
 Mais »
 
Últimos conteúdos
 
Aprovação PRAC
Relatório CDP - Under2MOU 2019
Consulta pública da Renovação da licença...
Consulta pública do Estudo de Impacte Am...
 

Monitorização Geológica - SCUT Eixo Sul: Lanços 1.5 e 1.6


Programa de Monitorização do Fator Ambiental: Geologia, Geomorfologia e Solos, a implementar na fase de exploração do projecto: Variante à E. R. 1-1.ª Água de Pau/Água de Alto/Vila Franca do Campo.

 1- Este Programa de Monitorização surge pela necessidade de estabelecer um método de vigilância e deteção de eventuais sinais precursores de fenómenos de instabilidade nos taludes associados a esta via rodoviária dos quais possam resultar movimentos de massa.

2- O Programa de Monitorização implementado até 2013 foi alterado por proposta do proponente por outro mais conforme com objetivos pretendidos, tendo sido entregue um relatório da campanha anteriormente feita à Autoridade Ambiental, enquanto o atual  foi iniciado em 2013 com várias fases de implementação:
a) 1ª Fase: apresentação do novo programa à Autoridade Ambiental em setembro de 2013 e respetiva aceitação com a consequente instalação no terreno de equipamento entre  novembro de 2013 e finais de março de 2014, de forma a criar-se uma rede geodésica de referência e outra com pontos de observação (marcas) nos taludes com mais de 20 metros de desnível associados ao eixo sul da SCUT de São Miguel nos troços sujeitos a Procedimento de AIA (Lanços 1.4 a 1.7), para deste modo determinar-se potenciais movimentos de todo ou de parte destes taludes, seguiu-se a realização de uma campanha de referência com Estações Totais e análise GNSS (Global Navigation Satellite System);
b) 2ª Fase: Implementada ao longo do primeiro ano do programarealização através de campanhas ordinárias para determinação de taludes estáveis e não estáveis em função dos desvios medidos e acumulados e realização de eventuais campanhas extraordinárias em função da ocorrência de fenómenos de pluviosidade ou de sismicidade que ultrapassassem respetivamente 50 mm/dia ou Grau IV de intensidade na zona de implantação do projeto;
c) 3.ª Fase: até aos cinco anos de programa com campanhas ordinárias referenciadas aos dados do primeiro ano e outras extraordinárias em função de ocorrências de pluviosidade ou de sismos na zona de implantação do projeto nas condições acima indicadas.

3- Os parâmetros a monitorizar são os deslocamentos planimétricos (horizontais) e altimétricos (verticais) registados nos taludes a partir da rede implantada.

4- Locais de amostragem:
a) Taludes com desníveis iguais ou superiores a 20 metros que estejam no corredor viário dos lanços 1.4 a 1.7, num total de 28, sendo 21 destes em escavação e 7 em aterro e apenas ocorrem nos lanços 1.5 e 1.6 deste eixo viário.

5- Periodicidade:
a) As campanhas ordinárias são bimestrais, podendo contudo existir alterações pontuais em função da deteção de níveis de alerta de estabilidade dos taludes que o recomendem, com a posterior realização de um relatório semestral e outro anual.
b) Realização de campanhas extraordinárias sempre que no corredor de implantação dos lanços em causa ocorram fenómenos de precipitação que ultrapassem os 50 mm/dia ou eventos sísmicos com intensidade superior a IV na escala Mercalli.

6- As técnicas correspondem à utilização de Estações Totais em marcas da rede e determinação do respetivo posicionamento em GNSS (Global Navigation Satellite System) com posterior tratamento informático dos dados.

7- Os resultados das medições serão apreciados com base em critérios de alerta: estabilização deslocacamento médios medidos até 0,01 mm/dia, atenção com deslocamentos deslocacamento médios medidos  de 0,1 mm/dia e de alerta sempre que os deslocacamento médios medidos atinjam 1,0 mm/dia ou a detecção de fenónemos de instabilidade aquando de observações visuais.


Relatórios de monitorização entregues na Autoridade Ambiental
Relatório Monitorização geotécnica de taludes de julho de 2012
Relatório de proposta de programa de monitorização de setembro de 2013; (Aceite)
Plano de Instrumentação e Observação de outubro de 2013; (Aceite)
Relatório Semestral 1/2015 datado de fevereiro de 2015 (Aceite)
Relatório Anual 2/2015, datado de outubro de 2015 (Aceite)
Relatório Anual 3/2017 datado de fevereiro de 2017 (Aceite)

Relatórios disponíveis na Autoridade Ambiental em caso de pretensão de consulta.





<< voltar à página do projeto

Numero de Visitantes
  918422  
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 

 

 










 

HOMEMAPA DE SITEMISSÃOCONSULTAS PÚBLICASLEGISLAÇÃOBIBLIOTECA DIGITALPERGUNTAS FREQUENTESCONTACTOSFORMULÁRIOS ONLINE

©2004-2019 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE