Proteção Radiológica  |  PRAC  |  Avaliação Ambiental  |  Licenciamento Ambiental  |  PRTR  |  Emissões Atmosféricas  |  Qualidade do Ar Ambiente  |  Térmitas  |  Ruído  |  Extracção de Inertes



Destaques
 
Inventário Regional de Emissões de Poluentes Atmosféricos - IRERPA
 Mais »
Relatórios da Qualidade do Ar
 Mais »
Relatórios do Estado do Ambiente
 Mais »
Relatórios de Implementação do PRTR na RAA
 Mais »
 
Últimos conteúdos
 
Mapa de Site
Início prazo preenchimento RAA 2018
IRERPA2018
Relatório da Qualidade do Ar 2018
 

Extintores e Sistemas Fixos de Proteção contra Incêndios


Os operadores de extintores e sistemas fixos de proteção contra incêndios, que contenham gases fluorados com efeito de estufa, têm como obrigação:

1. Recorrer a técnicos e empresas certificados por Organismo de Certificação de acordo com o previsto no n.º 2 do artigo 9.º do Decreto-Lei n.º 145/2017, de 30 de novembro, para proceder às intervenções técnicas nos equipamentos ou sistemas.

2. Proceder à deteção de fugas em todos os sistemas que possuam gases fluorados com efeito de estufa em quantidades iguais ou superiores 5 ton CO2 eq, de acordo com as periodicidades regulamentadas, por empresas e técnicos devidamente certificados para o efeito (para a determinação da periodicidade de deteção de fugas, poderá ser utilizado o conversor de gases fluorados, disponível no sítio da Agência Portuguesa do Ambiente).

3. Tomar precauções para evitar e minimizar as fugas de gases fluorados com efeito de estufa, providenciar a reparação do equipamento, sempre que sejam detetadas fugas, e garantir que, no prazo de um mês após a reparação de uma fuga, o sistema é verificado por pessoa singular certificada, a fim de avaliar a eficácia da reparação.

4. Assegurar que os sistemas que contenham gases fluorados com efeito de estufa em quantidades iguais ou superiores a 500 ton CO2 eq, dispõem de sistema de deteção de fugas que alerte o operador ou a empresa de assistência técnica para a existência de fugas.

5. Proceder ao Registo da Aplicação/Equipamento (RAE), manter os registos durante, pelo menos 5 anos, e facultá-los às entidades com competência nesta matéria, sempre que estas solicitarem. O RAE deve incluir as seguintes informações:

  • Quantidade e tipo de gases fluorados com efeito de estufa instalados;
  • Quantidade de cada gás fluorado com efeito de estufa recuperado para efeitos de reciclagem, regeneração ou destruição;
  • Identificação da empresa (incluir número de certificado da mesma) que instalou e/ou assistiu tecnicamente, efetuou a manutenção e, caso aplicável, reparou ou desativou o equipamento;
  • Datas e resultados das verificações efetuadas;
  • Em caso de desativação do sistema, as medidas tomadas para recuperar e eliminar os gases fluorados com efeito de estufa.

6. Proceder à Comunicação Anual de Dados, indicando, para o ano civil anterior:

  • Quantidade de cada gás fluorado com efeito de estufa existente no dia 1 de janeiro do ano civil em questão;
  • Quantidade de cada gás fluorado com efeito de estufa adquirida para recarga em equipamentos existentes;
  • Quantidade contida no interior (pré-carga) dos equipamentos adquiridos;
  • Quantidade de cada gás fluorado com efeito de estufa que tenha recuperado para efeito de recarga no mesmo equipamento;
  • Quantidade de cada gás fluorado com efeito de estufa que tenha recuperado para efeito de recarga noutro equipamento;
  • Quantidade de cada gás fluorado com efeito de estufa que tenha recuperado para efeito de reciclagem;
  • Quantidade de cada gás fluorado com efeito de estufa que tenha recuperado para efeito de valorização;
  • Quantidade de cada gás fluorado com efeito de estufa que tenha recuperado para efeito de destruição.

NOTA: Estes dados são obtidos a partir das Fichas de Intervenção que são deixadas pelos técnicos/empresas certificadas.

7. Comunicar à DRA os dados relativos à compra e venda de gases fluorados com efeito de estufa (ver a página Compra e Venda de GFEE), de acordo com o seguinte prazo de submissão:

  • Até 30 de junho de cada ano, deverão ser submetidos os dados relativos às compras e vendas (campos obrigatórios para Comunicação à DRA, na tabela com colunas a azul) ocorridas entre 1 de janeiro e 31 de dezembro do ano anterior (deverá ser feito apenas um envio anual com a totalidade das compras e vendas de 2018).
  • Os campos obrigatórios para Registo e comunicação à DRA ou à Comissão Europeia (tabela com colunas a cinzento), apenas deverão ser submetidos a este Organismo, quando solicitado, não havendo um prazo específico definido para o efeito.

<< voltar


Numero de Visitantes
  885280  
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 

 

 


14 de agosto de 2019

Muito Bom








 
 

HOMEMAPA DE SITEMISSÃOCONSULTAS PÚBLICASLEGISLAÇÃOBIBLIOTECA DIGITALPERGUNTAS FREQUENTESCONTACTOSFORMULÁRIOS ONLINE

©2004-2019 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE