Proteção Radiológica  |  PRAC  |  Avaliação Ambiental  |  Licenciamento Ambiental  |  PRTR  |  Emissões Atmosféricas  |  Qualidade do Ar Ambiente  |  Térmitas  |  Ruído  |  Extracção de Inertes



Destaques
 
Inventário Regional de Emissões de Poluentes Atmosféricos - IRERPA
 Mais »
Relatórios da Qualidade do Ar
 Mais »
Relatórios do Estado do Ambiente
 Mais »
Relatórios de Implementação do PRTR na RAA
 Mais »
 
Últimos conteúdos
 
Aprovação PRAC
Relatório CDP - Under2MOU 2019
Consulta pública da Renovação da licença...
Consulta pública do Estudo de Impacte Am...
 

Emissões de Compostos Orgânicos Voláteis (COV)



A poluição causada pelos COV (Compostos Orgânicos Voláteis) afecta a qualidade do ar e é potencialmente nociva para a saúde pública, sobretudo em consequência da utilização de solventes orgânicos em determinadas atividades e instalações. Os COV são compostos orgânicos que volatilizam a condições normais de pressão e temperatura, resultando em emissões de gases para a atmosfera.

O Decreto-Lei n.º 127/2013, de 30 de agosto, transpôs para o direito nacional a Diretiva 2010/75/EU, de 24 de novembro, estabelece o regime de emissões industriais aplicável à prevenção e ao controlo integrados da poluição, aplicando-se também às atividades que usam solventes orgânicos (capítulo V) e cujos limiares de consumo sejam superiores aos previstos no Anexo VII do referido diploma. Este diploma revogou o Decreto-Lei n.º 242/2001, de 31 de agosto, que transpôs para o direito nacional a Directiva 1999/13/CE, de 11 de março, relativa às emissões de Compostos Orgânicos Voláteis (COV) provenientes da utilização de solventes orgânicos em certas atividades e instalações.

Nos termos do Decreto-Lei n.º 127/2013, estão abrangidas as instalações que desenvolvem alguma das atividades listadas na parte 1 do respetivo Anexo VII, e que operam acima dos limiares de consumo de solventes definidos nas suas partes 2 e 3. No caso específico da atividade de limpeza a seco, não existe qualquer limiar de consumo de solvente, pelo que qualquer instalação que desenvolva esta atividade está abrangida.

Estas instalações estão sujeitas a um registo nacional de COV, conforme referido no artigo 96.º, devendo o operador proceder ao preenchimento do formulário designado COV - notificação, que se encontra disponivel no balcão virtual da DRA, na área de monitorização, avaliação ambiental e licenciamento.

Sobre a atividade de limpeza a seco, importa referir que, na parte 7 do Anexo VII, é feita referência ao Plano de Gestão de Solventes (PGS) e respetivas diretrizes para a elaboração do mesmo. Os objetivos do PGS são a verificação do cumprimento dos valores limite de emissão e a redução de emissões, identificando as futuras opções em matéria de redução.

Mais se informa que, o PGS é anual e que a verificação de incumprimento, determinará a instauração de um processo de contra-ordenação pelas infrações detetadas.



Para mais informações consulte os links abaixo:

    Plano de Gestão de Solventes para Limpeza a Seco

<< voltar

 

Numero de Visitantes
  918307  
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 

 

 










 

HOMEMAPA DE SITEMISSÃOCONSULTAS PÚBLICASLEGISLAÇÃOBIBLIOTECA DIGITALPERGUNTAS FREQUENTESCONTACTOSFORMULÁRIOS ONLINE

©2004-2019 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE