Proenergia  |  Certificação energética de edifícios  |  Unidades de Produção  |  Mobilidade eléctrica  |  Combustíveis  |  Electricidade  |  Ascensores  |  Eficiência Energética
Destaques
 
Brochura Mobilidade Elétrica
 Mais »
Relatório de Resultados do Programa ProEnergia
 Mais »
Relatório Anual Consumos Energéticos nos Edifícios Públicos
 Mais »
PMEA - Plano para a Mobilidade Elétrica nos Açores
 Mais »
 
Últimos conteúdos
 
Estratégia para a Implementação da Mobil...
Projeto Graciólica já pode injetar e com...
40% da eletricidade produzida no primeir...
Incentivos do Proenergia aumentaram 46% ...
 

Praia da Vitória 05-08-2019

40% da eletricidade produzida no primeiro semestre deste ano nos Açores foi de origem renovável


A Diretora Regional da Energia adiantou hoje, na Terceira, que cerca de 40% da eletricidade produzida nos Açores no primeiro semestre deste ano decorreu do aproveitamento de fontes de energia renováveis e endógenas.

Andreia Carreiro considerou que se trata de um resultado muito pertinente no contexto dos espaços insulares, que valida o empenho do Governo dos Açores em promover a transição para as energias limpas, privilegiando os recursos naturais como um dos pilares do desenvolvimento descarbonizado dos Açores.

No total da eletricidade produzida nos Açores nos primeiros seis meses de 2019, o aproveitamento hídrico representou cerca de 4%, o eólico cerca de 8% e o geotérmico cerca de 26%, referiu Andreia Carreiro, sublinhando que as fontes de energia renováveis são intermitentes e a sua disponibilidade depende de diversos fatores não controláveis, como as condições climatéricas, o que justifica possíveis variações mensais no aproveitamento de cada fonte.

A Diretora Regional referiu que devido à inconstância dos recursos naturais, como a chuva, o vento ou o sol, por exemplo, a integração de sistemas de armazenamento de energia no sistema elétrico é fulcral, estando em curso estudos para o efeito, potenciando o aumento da contribuição das centrais baseadas em fontes renováveis variáveis. Andreia Carreiro evidencio, assim, que se estima que, em 2023, cerca de 56% da energia elétrica tenha origem em fontes de energia renováveis e endógenas.

Andreia Carreiro falava à margem de uma visita à Central Geotérmica do Pico Alto, onde adiantou que, na ilha Terceira, a integração de renováveis e endógenas no primeiro semestre deste ano foi superior a 38%, tendo a geotermia representado cerca de 13%.

A Diretora Regional salientou que o aproveitamento geotérmico é um dos projetos mais bem sucedidos nos Açores, com claros benefícios económicos e ambientais, acrescentando que posicionou o arquipélago como um exemplo a seguir no contexto europeu através da aposta na geotermia para produção de energia elétrica.

Andreia Carreiro sublinhou ainda que o Governo dos Açores é parte integrante e ativa do grupo de trabalho da Especialização Inteligente S3 PARTNERSHIP Geothermal Energy 2.0, que cria sinergias entre os Açores e regiões de Espanha, Finlândia, Hungria, Holanda, Reino Unido, Escócia e Turquia, com o objetivo de partilhar, testar e apresentar soluções face aos desafios emergentes associados ao aproveitamento geotérmico, potenciando, deste modo, a sua prospeção e exploração no espaço económico europeu.

Outras Imagens

Foto 1

Foto 2

Autor: GaCS/DREn

Numero de Visitantes
  601298  
Pesquisa
 
 
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 

Balcão Virtual

Votação
 
Como avalia o portal da DREn?



 
   

 

HOMEPOLÍTICA ENERGÉTICALEGISLAÇÃOFAQSCOOPERAÇÃO EXTERNACONTACTOSORGANOGRAMA

©2004-2019 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE