Prémio Cagarro D'Ouro  |  Artigos Científicos  |  Parceiros  |  Notícias  |  RESOURCES IN ENGLISH  |  Campanhas Cagarro noutras latitudes
<Dezembro de 2018>
segterquaquisexsábdom
262728293012
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31123456
Zonas
 

Açores
Corvo
Faial
Flores
Graciosa
Pico
Santa Maria
São Jorge
São Miguel
Terceira

 

Atualizado em: 20-11-2018



 

Zeca Garro ... saber mais

Horta 25-11-2017

Diminuição da poluição luminosa é fundamental para saída segura dos cagarros, afirma Diretor Regional dos Assuntos do Mar


O Diretor Regional dos Assuntos do Mar afirmou, nas Lajes do Pico, que “a minimização dos efeitos negativos da poluição luminosa é um ponto central” para a saída, em segurança, dos cagarros juvenis dos seus ninhos para o seu primeiro voo atlântico.

Nesse sentido, e à semelhança de anos anteriores, Filipe Porteiro sublinhou que “foram tomadas medidas para a redução da iluminação pública, principalmente nos locais identificados anteriormente como sendo os mais críticos”, contando com a colaboração das entidades responsáveis por pontos de poluição luminosa, nomeadamente autarquias, a EDA e a Portos dos Açores.

O Diretor Regional, que falava, sexta feira à noite, na sessão de encerramento da Campanha SOS Cagarro 2017, fez o balanço da edição deste ano, em que foram salvos em todo o arquipélago 2839 cagarros.

Segundo dados recolhidos, durante a campanha deste ano, que decorreu entre 15 de outubro e 22 de novembro, procedeu-se à anilhagem de 1000 aves, tendo sido registados 128 cagarros mortos e 55 feridos.

Realizaram-se 450 brigadas SOS Cagarro, envolvendo cerca de 246 parceiros e mais de 3000 pessoas, entre voluntários e público-alvo de ações de sensibilização.

Este ano deu-se continuidade às brigadas científicas, iniciadas em 2016, em colaboração com a Universidade dos Açores, os Parques Naturais de Ilha, organizações não governamentais e outras entidades e cidadãos que aderiram a esta iniciativa de ciência pública, tendo sido realizadas, no total, 56 brigadas.

O Diretor Regional destacou a importância destas brigadas que permitem recolher “informação mais precisa e útil para estudar cientificamente a relação entre a queda de cagarros juvenis com as fontes de luminosidade existentes, entre outras variáveis”.

À semelhança de anos anteriores, para além da anilhagem de aves, para facilitar o estudo da espécie e aferir se regressam aos Açores, desenvolveram-se iniciativas de recuperação de aves feridas, incluindo a transferência de aves feridas para centro de reabilitação.

Algumas das aves encontradas mortas foram recolhidas e conservadas, em colaboração com a Lotaçor, com o objetivo de se estudar o seu conteúdo estomacal e compreender melhor de que forma esta espécie está a ser afetada pelo lixo marinho.

Filipe Porteiro referiu ainda que a campanha deste ano, tal como em 2016, “assumiu-se como uma atividade participativa de ecoturismo, promovendo os Açores como destino sustentável, através de ações inclusivas de conservação ambiental”.

Nesse sentido, e em parceria com a Associação de Turismo dos Açores (ATA), os agentes turísticos da Região foram sensibilizados para divulgarem esta iniciativa, incentivando os turistas a participar ativamente na campanha, contribuindo para a proteção desta ave marinha.

Com mais de duas décadas, o SOS Cagarro, que visa alertar a população para a necessidade de preservação desta espécie protegida que nidifica nos Açores, é considerada um caso de sucesso de participação cívica no âmbito da conservação da natureza. 

Esta campanha é organizada pela Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia, através da Direção Regional dos Assuntos do Mar, com o apoio da Direção Regional do Ambiente e de parceiros institucionais como os Parques Naturais de Ilha e a Azorina.

Esta iniciativa conta com a colaboração da Polícia de Segurança Pública, da Guarda Nacional Republicana, das corporações de bombeiros do arquipélago, dos veterinários dos Serviços de Desenvolvimento Agrário e de veterinários particulares e ainda com o apoio das Organizações Não Governamentais de Ambiente, nomeadamente o Observatório do Mar dos Açores, a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), a Gê-Questa, o Centro de Ciências de Angra do Heroísmo, os Montanheiros, os Amigos dos Açores, os Amigos do Calhau, e ainda com a parceria da Atlânticoline e Rent-a-Car Ilha Verde.

 

Autor: GM/GACs

Pesquisa
 
 
Últimos conteúdos
 
Encerramento SOS Sao Miguel
Premios SOS Faial
encerramento sm sos
pao por deus no Pico
 
 
 
“O Cagarro”
“Cagarro, cagarrinho”
“Aves vindas do mar”
"DJ Cagarro Master"
 
 
 



 

 

INÍCIOCAMPANHAO CAGARROINICIATIVASBRIGADAS CIENTÍFICASRECURSOSRELATÓRIOSCONTACTOSLUMINAVES

©2004-2018 Presidência do Governo dos Açores
Todos os Direitos Reservados

Portal do Governo dos Açores
Governo Regional dos Açores  UE